Vai ali

Blog


Dicas

10 livros que você precisa ler em 2018

por Vai Ali

Sêneca já dizia: “a leitura nutre a inteligência”. E não só isso. Nutre também os sonhos, as experiências e transforma a nossa maneira de encarar a vida. Por isso, nós separamos uma lista de publicações que você deve colocar já na cabeceira da cama. O ano já está acabando, mas nunca é tarde para começar, não é mesmo?!

10 livros que você precisa ler em 2018

Uma História Simples, de Leila Guerriero

Em janeiro de 2011, a jornalista argentina Leila Guerriero viaja até um povoado de seis mil habitantes, no interior de seu país, com o objetivo de contar a história de uma competição de dança típica tão secreta quanto prestigiada, realizada anualmente desde 1966: o Festival Nacional de Malambo de Laborde. É lá que ela conhece Rodolfo González Alcántara e decide segui-lo por um ano, contando e vivenciando sua trajetória até subir ao palco do Festival novamente.

Foto: Barricada de Livros

Outros Jeitos de Usar a Boca, de Rupi Kaur

Com um nome desses, é claro que chama atenção na prateleira. Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles.

 

Em Águas Sombrias, de Paula Hawkins

Conta a história de uma série de mulheres que morrem ao pular de um penhasco em direção a um rio em uma pequenina cidade. A cada morte, uma série de questões é levantada. Teria sido suicídio? Assassinato? Ou o que se vê é apenas a raça humana sendo o que sempre é: um empecilho na vida de outros seres repletos de regras e expectativas sociais impossível. Uma trama que bota o dedo na ferida ao falar de violência sexual, relacionamentos abusivos e machismo. 

 

Eneaotil: Mãe é pra quem a gente pode contar tudo mas não conta nada, de Leonor Macedo

Leonor Macedo foi mãe solteira aos 19 anos. Pra evitar a loucura que sua vida poderia se tornar – ou compartilhá-la –, resolveu escrever sobre as aventuras que vivia no dia a dia com Lucas, seu filho. A intenção era registrar pra não esquecer. No livro, mais de 100 crônicas estão reunidas, entre textos publicados em seu blog e inéditos que estavam guardados impressos – como diz a autora, “vai que a internet acaba?”.

 

Diários de Sylvia Plath, de Sylvia Plath

Lançamento de final de ano, essa nova edição luxuosa da Biblioteca Azul traz os diários de uma das poetisas mais aclamadas do século XX. A publicação traz os diários transcritos dos manuscritos originais do Smith College, além de um caderno de fotos com imagens da vida da autora. A narrativa central abrange oito diários de sua vida adulta, de 1950 a 1962, dispostos separadamente, em ordem cronológica.

 

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, de Mark Manson

Um fenômeno de vendas quando o assunto é livros de autoajuda. Com linguagem fácil que deixa o leitor com vontade terminar a leitura em pouco tempo, o livro mostra que nem sempre devemos nos preocupar excessivamente com um problema que não podemos resolver no momento, mas sim aprender a conviver com ele até que consigamos fazer algo a respeito. Um pensamento relativamente simples, mas que pode mudar a forma como enxergamos o mundo ao nosso redor.

Foto: Glomerado

Exames de Empatia, de Leslie Jamison
Leslie Jamison faz uma investigação poética, dolorosa e incisiva sobre violência, sexo, doença, autoestima e capacidade de expressão. Com enfoque feminista, disseca os possíveis sentimentos que afloram tanto mais quanto se aproxima da ferida.

 

O Ódio que Você Semeia, de Angie Thomas
Está na lista de bestsellers do The New York Times e fala sobre preconceito, racismo e crimes de ódio. O romance conta a história de Starr Carter, uma adolescente que inicia uma revolução pessoal quando seu amigo de infância é morto em um confronto policia. Indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas, Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.

Foto: De livro em Livro

Por Que Fazemos o Que Fazemos?, de Mario Sergio Cortella

Se você está sempre sem tempo, se você anda desmotivado no cotidiano,  aqui pode estar o melhor livro, aquele que vai fazer você refletir sobre sua vida profissional. O filósofo Mario Sergio Cortella mostra que é importante viver com um propósito. Se você está sempre pensando no seu presente e no seu futuro profissional, esse livro é como um guia.

 

13 Porquês, de Jay Asher

A narrativa é contada por Clay Jensen, um jovem que recebe um pacote misterioso, com seu nome, e dentro dele contém 7 fitas cassetes. Cada uma delas revela um dos 13 motivos para que Hanna Baker, uma colega de classe e antiga crush, cometesse suicídio duas semanas atrás. Agora, Clay precisa escutar todas as fitas até o final para entender, principalmente, o motivo dele estar presente em uma delas e o que ele fez de tão errado para Hanna.

Foto: Minha vida literária

Leia também

Cadastre-se e receba em primeira mão

nossas promoções, notícias e vídeos